Home
Sistema redes
Quem somos
Artigos
Documentos Técnicos
Você participa
 
Veja também »
29/09/2010
Etanol em motores pesados para nos testes
23/09/2010
Ônibus híbrido tem consumo 35% menor
14/09/2010
Veículos a diesel terão aditivo contra emissões
02/09/2010
BRT prevê espera de um minuto nas estações em Manaus
25/08/2010
Recife terá ônibus com GPS
08/09/2010
Tecnologia auxilia o transporte coletivo
01/04/2010
Combustível mais barato
22/03/2010
Em SP, M'Boi Mirim terá faixa reversível para ônibus
12/03/2010
Vale-transporte não pode ser tributado
28/09/2010
Técnicos pesquisam pneu mais resistente

Pesquisar materiais capazes de criar pneus que auxiliem a reduzir o consumo de combustível ou que sejam mais resistentes às condições das estradas faz parte da rotina de cerca de 30 técnicos do centro de desenvolvimento de produtos da Bridgestone, na Grande São Paulo.

O centro é uma das áreas que devem receber parte dos investimentos de US$ 250 milhões previstos para o país até 2014, sobretudo em tecnologia e desenvolvimento.

Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), nos oito primeiros meses deste ano a produção de caminhões e ônibus ultrapassou 130 mil unidades, o equivalente a todo o ano de 2009, o que já mostra retomada pós-crise.

A fabricação de pneus de alto desempenho para automóveis de luxo também está entre as prioridades. Um dos produtos dedicados ao segmento é um pneu com maior resistência, capaz de rodar 80 kms mesmo furado.

Parte dos investimentos anunciados pela Bridgestone também vai para a pesquisa de pneus com apelo ecológico. A empresa usa nanotecnologia para criar a borracha, que fica menos resistente ao deslocamento do carro e permite o consumo reduzido de combustível.

"Já fabricamos esse produto no Brasil para carros de passeio, mas a intenção é desenvolver também para caminhões", afirma Humberto Gomez, presidente da operação regional da Bridgestone.

Outro grupo é encarregado de pesquisar as condições das rodovias para desenvolvimento de novos produtos. O estudo é feito sobre rotas percorridas por clientes corporativos em ônibus e caminhões. "Com base em dados como características de asfalto, é possível criar os próximos pneus", diz Antonio Seta, gerente de desenvolvimento.

Fonte: Folha de São Paulo

Desenvolvido por:
NTU - Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos
© Copyright 2018 - Todos os direitos reservados. | suporte: ntumaster@ntu.org.br | Tel: 2103-9293